Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas do Quintal

Blog sobre o que se vai passando neste nosso "quintal"

Blog sobre o que se vai passando neste nosso "quintal"

Crónicas do Quintal

Pessoas que gostam disto

21
Jul11

Renegociar a dívida é ser caloteiro?

João Mateus

Renegociar a dívida significa ser caloteiro?

 

Não necessáriamente, pode significar apenas que adquirimos consciência que nos endividámos demais e que, pelas condições impostas pelos nossos credores, que voluntàriamente aceitámos, jamais teremos hipóteses de pagar aquilo que devemos.

 

Portanto antes que outros declarem a nossa falência (que no fundo é o que, a prazo, nos irá acontecer) devemos ser nós a procurar os nossos credores e a propor-lhes uma forma mais suave e menos penosa de saldarmos a nossa dívida, permitindo-nos assim, sobreviver e, ao mesmo tempo, honrar os nossos compromissos.

 

Isto é , no fundo, o que fará qualquer individuo consciente!

 

Então porque não o fazemos como país?

 

Não teremos, necessáriamente, de chegar ao pé dos nos nossos credores e dizer-lhes que, pura e simplesmente, não lhes pagamos ou que lhe iremos pagar apenas parte daquilo que lhes devemos, poderemos dizer-lhes apenas que queremos pagar-lhes aquilo que lhes devemos num prazo maior e com uma taxa de juro mais baixa.

 

É claro que poderá haver uma parte da nossa dívida que não é legitima, e a existir, ela não deverá ser paga, mas isso só poderá ser determinado através de uma auditoria às contas públicas, mas não existe na sociedade sequer consenso quanto à sua realização, quanto mais a quem a iria realizar!

 

Não tenhamos, no entanto, dúvidas que, a continuarmos assim (a contrair dívidas para pagar dívidas e, ainda por cima com juros assustadoramente acima dos nossos níveis de crescimento) não conseguiremos pagar aquilo que devemos e, nessa altura, será bem pior não só para nós, como para aqueles a quem devemos.

 

 

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Lema do Blog

Pra melhor está bem...está bem. Pra pior já basta assim!

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

O Crónicas no Facebook