Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas do Quintal

Blog sobre o que se vai passando neste nosso "quintal"

Blog sobre o que se vai passando neste nosso "quintal"

Crónicas do Quintal

Pessoas que gostam disto

30
Mar11

Porque não declaramos insolvência?

João Mateus

 

Um individuo “sensato” mesmo que episodicamente possa pedir emprestado, nunca deixa que o pé seja maior que o sapato, isto é, vai vivendo de acordo com as suas possibilidades e tendo sempre o cuidado de ter sempre algum de parte para o que possa vir amanhã. Nunca será grande coisa na vida!

 

Um individuo “esperto”, arrisca de vez em quando, mas quando sente que está a ir longe de mais e está a por em perigo a sua sobrevivência, vai à Deco saber o que deverá fazer para decretar insolvência e resolver os seus compromissos num prazo mais longo, mas permitindo-lhe ao menos sobreviver. Um dia, solvidos os seus compromissos, melhor dias poderão vir (até lhe pode sair o euromilhões, receber uma herança ou arranjar um emprego melhor) e poderá então, finalmente, realizar alguns dos seus projectos ou, quem sabe, até todos!

 

Pelo contrário, o individuo “parvo”, vai vivendo ao desbarato, vai pedindo novos créditos para pagar dívidas antigas e quando vê esgotado todos os recursos normais (pais, amigos, instituições bancárias) recorre aos agiotas a um juro exorbitante acabando normalmente a ser perseguido pelos credores e pelas autoridades. Muitas vezes, sucumbe ao peso da responsabilidade e suicida-se!

 

Será que não deve ser isto que deve também acontecer com os países?

 

É que se é, Portugal está sem dúvida a fazer o papel de “parvo” e parece que nunca mais se apercebe disso.

 

Ou será que ainda está a tempo de abrir os olhos e “espertar”?

 

Enfim, responda quem souber!

 

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Lema do Blog

Pra melhor está bem...está bem. Pra pior já basta assim!

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

O Crónicas no Facebook