Pessoas que gostam disto

Sexta-feira, 20 de Dezembro de 2013

CHAMEM-ME O QUE QUISEREM!

 

(Eu sei que roubei este titulo da Coluna do Henrique Monteiro no Expresso e peço-lhe desculpa, mas não encontrei outra forma de melhor caraterizar o meu grito de revolta neste momento)

É que eu penso que as PENSÕES, tal como os SALÁRIOS, são invioláveis.
Em épocas de crise os problemas devem ser resolvidos com impostos (IMPOSTOS EXTRAORDINÁRIOS).
Para mim são o que melhor serve para desvalorizar os rendimentos e de forma mais justa, porque são PROGRESSIVOS (de acordo com os RENDIMENTOS de cada um) e SOBRETUDO, porque atingem TODOS e não apenas ALGUNS.

publicado por João Mateus às 13:46
link do post | comentar | favorito
|

Lema do Blog

Pra melhor está bem...está bem. Pra pior já basta assim!

Mais sobre Mim

Projecto Esperança

Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts Recentes

Os incêndios em Portugal

HOJE VAMOS FALAR DE POLÍT...

OU HÁ MORALIDADE OU COMEM...

A ESCRAVATURA MODERNA

RESPONSABILIDADE POLÍTICA...

EU, PECADOR, ME CONFESSO!

"Tão felizes que nós éram...

PORTUGAL O PAÍS DO TENDEN...

Os problemas da Democraci...

Os argumentos da direita ...

Arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Março 2017

Outubro 2016

Junho 2015

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Julho 2008

Novembro 2006

Outubro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Links

Viagens na Nossa Terra
Pretextos...
Ir até ao Alentejo
A Gazeta Saloia
Coutinho Afonso
Peralcovo

O Crónicas no Facebook

blogs SAPO

subscrever feeds